Porto de Galinhas – Pernambuco

No início de Abril deste ano, nossas férias ocorreram  em dos lugares mais bonitos do Brasil e um pouco caro também: Porto de Galinhas. Mas, não saiu muito caro, na verdade, por que não optamos por comprar pacotes de operadoras, indo por conta própria. Já que temos um ano para programar as férias, nada melhor do que esperar promoções de passagens aéreas, milhagens, promoções de pousadas, etc. Minha namorada conseguiu ótimos preços para passagens aéreas na Gol e de hotéis através do booking.com.

Ficamos 8 noites em Porto de Galinhas na Pousada Porto Mares, que tinha ótimas acomodações e o principal, ficava perto do melhor ponto da praia, em 10 minutos estávamos na frente das piscinas naturais.Porto de Galinhas não decepcionou, todos os dias o sol estava forte e a praia ótima para banho.

No primeiro dia chegamos no aeroporto de Guararapes em Recife, por volta da 14:40, e fomos a Porto de Galinhas de ônibus, pela Viação Cruzeiro que faz o trecho Recife-Ipojuca, pegamos linha chamada “opcional” que tinha bagageiro e ar condicionado. O preço da passagem, atualmente é R$ 11,00 o ponto fica ao lado do aeroporto.Chegamos no município de Ipojuca ainda durante o dia, a viagem durou 1h30min. Aproveitamos para descansar e a noite fomos ao restaurante Barcaxeira, para comer uma carne de sol com macaxeira e queijo cheddar. Saiu um pouco caro mas estava muito bom.

O primeiro passeio que fizemos foi para a Praia de Carneiros, que custou R$ 40,00 por pessoa, incluindo um volta de catamarã para conhecer os mangues e o banho de argila medicinal, além de ir em um banco de areia no meio do mar que surge quando a maré está baixa. O passeio em si foi legal, embora tenhamos ido de carro e não de van como imaginávamos, ficamos apertados durante os deslocamentos. Outro detalhe que não gostei foi que poderíamos ter ido apé até as piscinas naturais, sem necessidade de um catamarã.Portanto, se você quiser ir a Praia de Carneiros combine com um taxista a ida e a volta e vá de acordo com a maré, quanto mais baixa mais fácil de ver as piscinas naturais. Se você for por alguma operadora provavelmente o passeio acabará antes da maré estiver bem baixa.Geralmente esses passeios são feitos para você gastar nos restaurantes das praia e costumam retornar as 15:00hs. Como não vamos para encher a barriga, esse passeio teria sido melhor se fossemos por nossa conta.

Lá, um cara tentou nos vender um deslocamento com lancha até as piscinas alegando que a tarde a maré subiria, ele cobraria R$ 70,00 pra isso. Só que a tarde a maré baixou muito e fomos caminhando até as piscinas.  Fica a dica…

Praia dos Carneiros
Piscina natural da Praia de Carneiros.
Dá pra passar a tarde toda nesse lugar sem perceber o tempo passando.

Em outro dia fizemos o passeio até Olinda, que se localiza a 10km de Recife. Olinda também tem uma praia bonita, mas infelizmente tem tubarões. O passeio inclui visitas a igrejas antigas, algumas construídas no século 17. Nelas, o turista irá ver obras de arte sacra, as primeiras que chegaram ou que foram feitas no Brasil. Muitos dos altares tem detalhes banhados em outro 24 quilates.

A cidade é cheia de ladeiras e de casas coloridas que são a marca registrada da cidade. Como tudo tem um porquê na vida, descobrimos o motivo curioso de tantas cores. A explicação é simples: antigamente as casas não tinham números para identificá-las em uma rua, então o serviço de correios da época diferenciava os destinatários pelas cores das casas, primeiro pela cor da parede, depois pela cor dos contornos das portas ou das janelas, caso existissem duas casas com as mesma cores na paredes.

Interior da Igreja da Sé.

Ao fundo temos a praia de Olinda.

Recife vista de Olinda, na visita a Igreja da Sé.
O passeio também inclui uma visita ao Instituto Ricardo Brennand, um museu de arte que possui uma réplica de um castelo medieval, onde está exposta uma coleção de armas brancas e armas de fogo com peças provenientes da Europa, África e Ásia e diversas armaduras de cavaleiros. Além disso, possui pinturas, esculturas em mármore, cobre e madeira, móveis e utensílios antigos e tapetes da época do descobrimento do Brasil.

A visita foi rápida, pois o lugar fecha cedo, as 17:00hs, então se você for lá, reserve pelo menos umas duas horas para conhecer bem o local e admirar a obras. Se estiver em férias, é melhor não fazer esse passeio por uma agência, por que você pode correr o risco de passar muito tempo em Olinda e não ter muito tempo de visita ao Instituto. Em uma próxima oportunidade, voltaremos com lá certeza.

Esculturas em madeira.
O Instituto conta com uma enorme coleção de armas brancas.
Fuzil utilizado por Dom Pedro II.
As armas tinham detalhes esculpidos nos cabos e nos canos com cenas históricas ou de lugares da Europa. Dá pra notar a presença da beleza na arte dos séculos passados. Tudo era bem detalhado e bem feito.
Tapete antigo do tempo do descobrimento do Brasil. Eles eram confeccionados a partir de descrições em cartas de pessoas que estavam no Brasil e os artistas reproduziam conforme a descrição. Em alguns desses tapetes, espanta os detalhes que era muito fiéis a realidade, mas o artista nunca tinha visto certos animais e paisagens.
No dia seguinte, fomos conhecer a Praia de Muro Alto que fica no município de Ipojuca, bem pertinho de Porto de Galinhas, dá para ir de táxi, e foi assim que fizemos, combinamos com um taxista, no dia anterior, o horário de ida e volta. A praia tem esse nome por que ela tem um muro de falésias no meio do mar que forma uma piscina natural de 2,5 mil metros, atingindo até 10 metros de profundidade. As águas são calmas e limpas, pra quem gosta de andar de caiaque é ótimo o lugar.

Existe um passeio de bug que vai do Pontal do Maracaípe até a praia de Muro Alto, mas não vale a pena pagar pelo passeio por que você vai passar muito rápido pelas praias e voltar cedo. Nós preferimos caminhar até o pontal, para conhecer e ir até Muro Alto em outro momento para passar o dia lá aproveitando até o sol baixar. No pontal você vai encontrar um banco de areia e lá perto tem um manguezal. Você pode fazer um passeio um de jangada por lá também e conhecer o projeto Hippocampus de preservação do cavalo-marinho  .

Praia de Muro Alto
Você pode pegar um caiaque e ir até a barreia no meio do mar dá nome a praia.

Águas claras e muito calmas em Muro Alto.

Pontal de Maracaípe.
Todos os lugares que fomos eram fantásticos, mas o melhor estava por vir e guardamos para o final, quando a maré estaria no nível mais baixo, ideal para ir as piscinas naturais e fazer mergulho com cilindro. E foi o que fizemos, foram dois dias de maré baixa, no primeiro mergulhamos e no outro fomos as piscinas naturais.

Para quem nunca mergulhou com cilindro não sabe o que está perdendo, apesar de ser caro vale a pena, principalmente se você tem a chance de ver os peixes nadando perto de você. Certamente faremos mais mergulhos com cilindros nas próximas viagens.

Em Porto de Galinhas você pode ir até as piscinas naturais de jangada, mas como os janguadeiros estavam cobrando caro, resolvemos fazer o que muita gente faz, fomos andando mesmo, atravessando a água e subindo no arrecife. Dica: vá de chinelo, não invente de subir no arrecife de pé descalço por que lá tem muito buracos com ouriços, se você pisar em algum deles, vai ter uma baita febre ou coisa pior.

Nas piscinas naturais você pode ver vários peixes e crustáceos, em algumas delas você pode mergulhar e ficar ao lado dos peixes que já estão bem acostumados com a presença humana. Há uma piscina natural no formato do mapa do Brasil.
Arrecife de Porto de Galinhas quando a maré está bem baixa.
Alguns peixes ficam presos nas piscinas ficando mais fácil de observá-los.
Esse peixe é o sargento, o mais comum da região nordeste.
Piscina no formato do mapa do Brasil.

Fica a dica:

  • Sempre olhe a tábua das marés: quanto mais baixa melhor, pois você encontrará as piscinas naturais mais fácil e se for fazer mergulho verá mais peixes na água.
  • Praia de carneiros: não vá por operadora de turismo, tente arrumar um taxista que leve você e pegue em um horário combinado, pois o passeio pode voltar antes que a maré esteja o ideal.
  • Se for ao Instituto Brennand reserve pelo menos umas duas horas para ver tudo com calma.

Bom espero que tenham gostado. Até a próxima viagem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s